Ler, Ver e Ouvir, Vídeos Indicados

Videoclipe de música que explora os sentimentos no isolamento social traz bailarinas de flamenco

A canção “Estanque de Tormentas” composta pelas poetas Suzana Cano, Mônica Berger, Sérgio Viralobos e pelo compositor Luiz Antonio Ferreira ganha vida no videoclipe inédito, dirigido por Rapha Moraes. A música ganhou coreografia da bailaora de dança flamenca Miri Galeano, em performance em que a mesma é acompanhada por algumas integrantes de seu grupo de dança, o Perla Flamenca.

A história do amor “represado” em tempos de isolamento social conta com participações especiais da artista paraguaia Maria Quevedo; da pianista Lilian Nakahodo; das musicistas da Orquestra de Câmara Carla Zago, Fer Koppe, Bruna Buschle; e do violão flamenco solo de Jony Gonçalves.

A inspiração da canção tem múltiplas referências da literatura e da música, como a poesia de Federico Garcia Lorca e as performances de Camarón de La Isla, o histórico artista do flamenco. Mas, as referências não param por aí, como menciona Sérgio: “São muitos elementos, muitas citações subliminares. A inspiração do isolamento proporcionado pela pandemia e da fúria de uma paixão cigana com pitadas do drama ‘Gota D`Água’’, de Chico Buarque e Paulo Pontes”.

Sangue, areia, espuma, ciúme, vingança, perseguição, fuga, tudo gira em torno da música que é onde tudo começa, daí a dança e a guitarra flamenca, castanholas, palmas, sapateados e tudo levando a uma mistura que deságua no universo pop da banda Estacas. A ideia é misturar tudo isso com a música pop, acústica, sem ser, necessariamente, uma canção flamenca. Afinal, Estacas é um projeto de compositores de música pop, mas que se propõe a tratar com o devido respeito a cultura cigana e a história da música flamenca.

As imagens belíssimas do litoral paranaense mescladas a momentos da dança flamenca, coreografada por Miri ao som de Jony, levam o espectador para um lugar onde predomina a força das paixões e da beleza e, ao mesmo tempo, em que é preciso lidar com o peso da solidão. Sobre as imagens, o diretor Rapha explica como foi recriar essa atmosfera.

A força dessa canção, para o compositor Luiz Ferreira, está nessa junção de múltiplas referências e talentos artísticos e principalmente, na capacidade que o videoclipe tem de se conectar com quem assiste, evocando os sentimentos que a maioria das pessoas teve durante o contexto da pandemia.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend