Espetáculos/Shows, Notícias

Temporada 2021 da SPCD traz remontagens inéditas de grandes balés em espetáculos presenciais e virtuais

A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) dá início em junho a sua Temporada 2021, intitulada ‘Tempo da Travessia’, no Teatro Sérgio Cardoso, tradicional palco das temporadas anuais da SPCD na capital paulista. Ao longo de duas semanas, serão apresentadas quatro obras – duas delas inéditas –, em programas que revelam novos acentos para grandes balés clássicos de repertório e destacam a inventividade da dança contemporânea brasileira.

Entre os dias 17 e 20/06, o público poderá conferir a estreia de Les Sylphides (Chopiniana), com remontagem assinada por Ana Botafogo, além de Só Tinha de Ser com Você, de Henrique Rodovalho. Entre os dias 24 e 27/06, é a vez da estreia do clássico Giselle – Ato II, com remontagem de Lars Van Cauwenbergh, acompanhado de Agora, de Cassi Abranches. De acordo com as diretrizes governamentais de enfrentamento à Covid-19, os espetáculos terão duração aproximada de 1 hora, sem intervalo, e público presencial com ocupação de plateia limitada à capacidade máxima vigente, com todos os protocolos sanitários rigorosamente seguidos.

As oito apresentações também contarão com transmissão simultânea ao vivo e gratuita pelo canal da SPCD no YouTube e pela plataforma Cultura em Casa. Aos sábados e domingos, quem assistir ao streaming também poderá conferir os espetáculos com audiodescrição de Só Tinha de Ser com Você (19 e 20/06) e Giselle – Ato II (26 e 27/06). Aos que desejam mergulhar no universo dessas criações, haverá palestras de mediação sobre cada programa. Conduzidas por Inês Bogéa, elas reúnem artistas envolvidos nas obras e acontecem de forma virtual, nos dias 16 e 23/06, às 19h, também no canal da SPCD no YouTube e na plataforma Cultura em Casa. Nos dias 18 e 25/06, às 15h, serão realizados ainda dois espetáculos gratuitos voltados para estudantes e público da terceira idade.

Thamiris Prata e Geivison Moreira em cena de Giselle – Ato II, remontagem de Lars Van Cauwenbergh | Foto: Nanahd Luize

A inspiração para a Temporada 2021 partiu do poema Tempo da Travessia, escrito por Fernando Teixeira de Andrade (1946-2008): “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”. Para a diretora da SPCD, Inês Bogéa, essas palavras espelham o momento da Companhia diante do contexto atual. “No último ano, vivemos desafios que nos levaram a criar novas maneiras de permanecer ativos e compartilhar a arte a diferentes públicos. A Temporada 2021 reflete justamente esse movimento de resistência da dança”, explica ela.

TEMPORADA 2021

O primeiro programa conta com o encontro de dois ícones do cenário nacional da dança: Ana Botafogo e Henrique Rodovalho. A primeira-bailarina do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro assina uma remontagem inédita de Les Sylphides (Chopiniana) para a Companhia. Coreografada originalmente em 1909 por Michel Fokine (1880-1942), a partir de composição de Frédéric Chopin (1810-1849), esta é uma obra que evoca a era romântica e marca a estreia de Ana no papel de remontadora.

A noite fecha com Só Tinha de Ser com Você, uma coreografia de Rodovalho estreada, em 2005, por sua companhia, a Quasar Cia de Dança, com músicas do álbum Elis & Tom (1978). Em 2020, ela ganhou uma versão para a SPCD com distâncias ampliadas entre os bailarinos e relações construídas a partir de gestos e olhares, dando início à atuação de Rodovalho como coreógrafo residente da São Paulo após as criações originais de Inquieto (2011) e Melhor Único Dia (2018).

Bailarinos da SPCD em cena de Agora, de Cassi Abranches. | Foto: Silvia Machado.

A segunda semana leva para o palco do Teatro Sérgio Cardoso dois nomes cujas as trajetórias coreográficas estão intrinsecamente ligadas à SPCD: Lars Van Cauwenbergh e Cassi Abranches. Depois de assinar A Morte do Cisne, em 2019, para a São Paulo, Lars – que também é professor da Companhia – lança Giselle – Ato II, inspirada livremente no original de 1841 de Jules Perrot (1810-1892) e Jean Coralli (1779-1854). Apontada por estudiosos como o ápice do romantismo na dança clássica, Giselle vem recebendo inúmeras releituras ao longo dos séculos e agora chega ao repertório da São Paulo.

A Temporada de junho da SPCD se despede com a premiada Agora, de Cassi. Eleita como melhor coreografia de 2019 pelo júri do Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), a obra se soma a outras três criadas pela coreógrafa paulista para o repertório da Companhia, que inclui ainda Gen (2014), o segundo ato de Schumann ou Os Amores do Poeta (2018) e Respiro (2020).

Em setembro, a SPCD retorna ao Teatro Sérgio Cardoso para mais uma semana de muita dança com a estreia de Suíte de Paquita, em remontagem de Diego de Paula, e apresentação de Madrugada, de Antonio Gomes.

“A partir desses clássicos, podemos sentir a potência da presença feminina no palco, revelando as individualidades e, ao mesmo tempo, a força do coletivo. Eles evocam uma imagem de um mundo no qual vários sentimentos contrastantes estão presentes e onde a leveza remete também a nossa finitude. Já as danças contemporâneas desta temporada revelam linguagens específicas de cada um dos criadores e se conectam entre si a partir da capacidade de transmutação dos gestos singulares de cada um. Neste ‘Tempo da Travessia’, queremos o público ao nosso lado para juntos celebrarmos a vida e a arte”, explica Inês Bogéa, diretora artística da SPCD.

“É uma alegria poder reabrir o Teatro Sérgio Cardoso, em especial com a qualidade da São Paulo Companhia de Dança que, anualmente, realiza no espaço suas temporadas. Dessa vez, além do público presencial, que será recebido com todos os protocolos sanitários exigidos, teremos a transmissão online dos espetáculos de forma gratuita, ampliando o alcance da arte e da cultura através da difusão digital”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte, gestora do Teatro Sérgio Cardoso.

A Temporada 2021 da São Paulo Companhia de Dança é viabilizada pela Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio de Itaú, apoio de CDF e realização da Associação Pró-Dança/São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e Secretaria Especial da Cultura (Ministério do Turismo, Governo Federal).


O que: Temporada 2021 São Paulo Companhia de Dança
Quando: entre 17 e 20/06
Onde: Teatro Sérgio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista | São Paulo-SP
Transmissão Online: youtube.com/AudiovisualSPCD
Quanto: presencial R$ 70 (plateia/inteira) e R$ 45 (balcão/inteira)
Ingressos: sympla.com.br

Programa 1
Repertório: Estreia de Les Sylphides (Chopiniana), remontagem de Ana Botafogo | Só Tinha de Ser com Você, de Henrique Rodovalho
Datas: 17 a 20/06
Horários*: qui, sex e sáb às 20h | dom, às 17h

Programa 2
Repertório: Estreia de Giselle – Ato II, remontagem de Lars Van Cauwenbergh | Agora, de Cassi Abranches
Datas: 24 a 27/06
Horários*: qui, sex e sáb, às 20h | dom, às 17h

* Os horários estão sujeitos a alteração conforme atualizações do Plano São Paulo.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend