Festivais/Mostras, Notícias

Nesta semana, dança predomina no Festival Arte Como Respiro, do Itaú Cultural

De 16 a 20/09 (quarta-feira a domingo), o site do Itaú Cultural volta a ser palco para a programação cênica do Festival Arte como Respiro, levando ao público mais um recorte dos contemplados na série de editais de emergência realizados pela instituição para apoiar artistas impactados pela suspensão social no contexto da pandemia do covid-19. Desta vez, 28 artistas de 12 estados (Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) apresentam 34 espetáculos de dança, teatro e circo para adultos e crianças, que ficam disponíveis por 24 horas para serem assistidos virtualmente.

As reflexões sobre as consequências físicas e emocionais do atual momento de pandemia, assim como questões raciais e sociais, continuam em pauta nos espetáculos para adultos desta nova série de apresentações no Festival Arte como Respiro – Edição Cênicas. Com sessões em todos os dias da programação às 20h, este segundo recorte de espetáculos do mês também aborda memórias e lança o olhar ao ambiente externo, tendo a dança como linguagem predominante. Nas sessões infantis, que acontecem no sábado e domingo, às 15h, o circo é quem dá o tom da temporada, marcando presença com apresentações de números tradicionais e também servindo de base para a realização de espetáculos curtos.

Cena de Isolatta, projeto de dança de coletivo de artistas paulistas. | Foto: Estudio Nu

A cena de dança Por Aqui, do Coletive Umdenós (PA) aborda uma realidade que está entre a normalização da vida como fuga do perigo eminente e o isolamento social. Cartas Adiadas (SP), coloca mãe e filha dançando uma para a outra os conteúdos de cartas não-enviadas; Memórias em Improviso (PR) reúne música, dança, teatro, textos e gravações em homenagem ao músico e compositor Chico Mário (1948-1988), irmão do sociólogo Betinho e do cartunista Henfil; o Grupo AfroBreak (SP) apresenta em Cura um olhar lúdico à relação do homem com a natureza. Já o projeto de dança Isolatta (SP) retrata um dia de quatro artistas, cada um isolado em seu apartamento no mesmo prédio; e nas cenas de Sobre o Que Não é Dito (GO), da Giro8 Cia de Dança, seis bailarinos, dentro de casa durante a quarentena, revelam rotina, frustrações e felicidade. Por fim, o Grupo de Dança 1º Ato (MG) apresenta em InstHabilidade, Estado Permanente o permanente estado de queda e suspensão durante a quarentena.


O que: Festival Arte como Respiro – Edição Cênicas
Quando: 16 a 20/09
Quanto: gratuito
Onde: www.itaucultural.org.br

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend