Festivais/Mostras, Notícias

Mostra de processos criativos revela percursos da Ecoperformance em tempos de afastamento social

Como fazer Ecoperformance em casa e on-line? Esse foi o desafio da oficina Corpo-ambiente em Fluxo, que chega ao fim nesta quinta (01/04), com uma mostra on-line dos processos criativos despertados. Com vivência para o público e apresentação de vinte performances, o evento começa às 19h, no Zoom, e tem como recursos de acessibilidade a audiodescrição e legenda de fala. Os ingressos são gratuitos e já estão disponíveis no Sympla.

Ao longo dos encontros, entre fevereiro e março, os participantes foram instigados a desenvolver células performativas, e receberam tutorias para aprofundar tais investigações, conduzidas pelos artistas Gabriela Holanda (Ecoperformance – Movimento – Elementos visuais da cena), José Cirilo (Palavra-performativa), Milena Marques (Roteiro/programa performativo) e Thiago Neves (Sonoridades), com colaboração ainda de Thais Lima (Acessibilidade) e Tonlin Cheng (Audiovisual).

“A oficina trabalhou a relação porosa entre corpo e ambiente. Que impulsos movem o corpo a partir dessa relação horizontal, assumindo um mover de ecossistema, ligados a essa teia planetária? Que qualidades de movimento, que memória, imagens, sensações cada lugar pode trazer para o corpo?”, comenta Gabriela Holanda, uma das idealizadoras do projeto. Segundo a artista, as criações geradas se conectam a esses temas, pensando o corpo como água, fluxo, e desenvolvendo desde memórias pessoais a críticas socioambientais através da dança, performance e teatro.

Viabilizado pelo edital LAB PE/Lei Aldir Blanc, o projeto trouxe uma perspectiva transdisciplinar de investigação, associando Ecoperformance a princípios de Artivismo, Dança Contemporânea, Ecologia e Educação Somática. O público, antes do início das performances, será convidado a experimentar um pouco dessa abordagem, com uma proposta de vivência.

Confira as apresentações da Mostra:

  • Alba Vieira, A mulher que se confundiu com um peixe;
  • Ananda Oliveira, Encontrar Fluxo;
  • Carolina Consentino, Meu Coração Tropical;
  • Claudia Bonina, Mulher Mondego;
  • Danielle Ramos, Beira;
  • Demmy Ribeiro, N(ão) P(aupável);
  • Diega Pereira, Três Rezas-poemas pras Águas Profundas;
  • Duda Freyre, Anderson Hanzen e Eric Caldas, Rios de Merda;
  • Emyle Daltro, Dança Salobra;
  • Eva Maria Santoro e Sol Sebastian Piñeda, sem título;
  • Fabrícia Macedo, sem título;
  • Gabriela Lobo, Exploracíon sobre la cotidianidad porosa;
  • Íris Cláudia, Eu em líquido: minhas águas em fluxo;
  • Letícia Nascimento Gomes, Danságua;
  • Luiz Otávio Pereira, Não cabe nesta janela;
  • Mainá Souza, Margens Móveis;
  • Patrícia Caetano e Miro Uali Chomada, sem título;
  • Paula Moreira, Corpo Folha Ancestral;
  • Tamires Coeli, Veio Veia Viam;
  • Weber Miranda, Corpo-rio.

O que: Mostra de Processos Criativos | Conclusão da oficina Corpo-ambiente em Fluxo
Quando: 01/04, às 19h
Onde: plataforma Zoom
Quanto: gratuito
Ingressos: Sympla

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend