Espetáculos/Shows, Notícias

Dellarte anuncia programação da Temporada de Dança 2020

A Dellarte Soluções Culturais anunciou espetáculos com três cias de dança internacionais e uma nacional em sua Temporada de Dança 2020. As apresentações acontecem entre os meses de abril a dezembro, em palcos de cinco capitais brasileiras: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre.

“Há 37 anos no mercado, a empresa comemora as mais de 1.500 apresentações para três milhões de apreciadores, admiradores e amantes da música clássica, balé, jazz, ópera e o que há de mais emocionante no cenário cultural ao redor do mundo. Nosso lema é O espetáculo já começou”, exalta sua presidente, Myrian Daueslberg.

Confira as cias e obras selecionadas:

BALLETTO DI ROMA

Obra: Giulietta e Romeo
Rio de Janeiro – 20 de junho, sábado, às 20h – Theatro Municipal
São Paulo – data a definir – Teatro Alfa

Após apresentar uma versão inovadora de Romeu e Julieta em 1987, o coreógrafo Fabrizio Monteverde retorna à tragédia de Shakespeare, buscando explorar emoções mais profundas e complexas do feminino. A ordem inversa do título indica que a personagem principal desta história é Julieta, uma jovem que, apesar das crenças conservadoras de sua aldeia, tem uma tendência rebelde e um desejo de emancipação.

A história é transposta de Verona para uma comunidade rural no sul da Itália, norteada por antigas tradições e feudos familiares. A ação se desenrola a partir do final da Segunda Guerra Mundial, quando tensão e tradicionalismo são confrontados com um movimento de reconstrução, o que proporciona um clima mais exasperado para a paixão do jovem casal. E é o audacioso espírito independente de Julieta que faz com que o tímido e solitário Romeu se apaixone por ela.

BALLET DU GRAND THEATRE DE GENEVE

Obra: Tristão e Isolda
Rio de Janeiro – 22 de agosto, sábado, às 20h – Theatro Municipal

A ópera Tristão e Isolda de Wagner não parece talhada para a dança. Ao assumir este desafio, o coreógrafo Joëlle Bouvier criou um ballet inteligente, que projeta os artistas em direção à excelência, esbanjando sobriedade e precisão: “É um verdadeiro desafio trabalhar sobre sua música; não é fácil. Tristão e Isolda é uma história de amor frustrada que, em geral, é conhecida apenas superficialmente. A ópera dura 4 horas. Eu mantive os 3 atos, a cronologia, o espírito. Mas resumi a história a uma hora e meia. Foi um trabalho de longo prazo. Fui me assenhorando pouco a pouco. Penetrei no mundo de Wagner. A história é complexa como os seres humanos”.

A atmosfera, sombria e dramática, como essa história de amor é realçada pelo claro-escuro, parece ter saído das pinturas da escola holandesa do século XVII. Com elementos simples, cortinas, uma escada dupla, um fundo negro e alguns praticáveis como acessórios, Joëlle Bouvier evita o supérfluo e o inútil.

BALLET FLAMENCO SARA BARAS

Obra: Sombras
Rio de Janeiro – 13 de novembro, sexta-feira, às 20h – Theatro Municipal
São Paulo – data a definir – Teatro Alfa
Belo Horizonte – data e local a definir
Curitiba – data a definir – Teatro Guaíra
Porto Alegre – data e local a definir

A superestrela do flamenco Sara Baras retorna em boa hora ao Brasil com Sombras, seu mais recente e inebriante espetáculo. Aclamada por sua presença carismática no palco e por seu sapateado, Baras se baseia em uma linha de dança que permeia sua carreira, e comemora, paralelamente, o 20º aniversário de sua companhia. Exibindo-se ao lado de seis bailarinos e acompanhada por sete músicos, Baras é “uma mulher que pode trazer na dança não somente uma tempestade de flamenco, mas também um furacão” (The Guardian).

COMPANHIA BEMO – TMRJ

Obra: O Quebra-Nozes
Temporada em dezembro – local a definir

Um dos balés mais populares do mundo, o clássico natalino O Quebra-Nozes será apresentado no mês de dezembro. A obra mundialmente reconhecida com música de Tchaikovsky e coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov nos remete a um mundo de lindos sonhos e suaves sentimentos que faz a alegria de crianças e adultos. Estreado em 1892, no Teatro Mariinsky, de São Petersburgo, seu enredo se baseia em uma adaptação do conto infantil “O Quebra-nozes e o Rei dos Camundongos”, de E.T.A. Hoffmann, realizada por Alexandre Dumas pai. A primeira apresentação no ocidente só aconteceu em 1934, no Sadler’s Wells Theatre, em Londres. Desde então, tornou-se um dos balés mais montados em todo o mundo.

A Companhia BEMO – Theatro Municipal do Rio de Janeiro é uma iniciativa que vem firmar a fusão da premiada Cia Brasileira de Ballet à Escola Estadual de Danças Maria Olenewa do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (EEDMO).

Com direção Artística de Jorge Texeira e Direção Geral de Hélio Bejani, esta fusão se deu unindo a tradição construída ao longo de mais de 90 anos da EEDMO, com as produções de obras, cenografias e de figurinos, além de 18 anos de experiência e renome conquistado pela Cia Brasileira de Ballet.

Assinaturas/Informações: www.assinaturas.dellarte.com.br/danca

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend