Espetáculos, Notícias

Balé Teatro Guaíra reencontra público presencial com coreografia de Lili de Grammont

No dia 04/12, o Balé Teatro Guaíra (BTG) retorna ao palco do Guairinha, em Curitiba, para apresentação de “VICA”, uma obra da coreógrafa Lili de Grammont que conversa com o público sobre os desafios vividos durante a pandemia de Covid-19 e a esperança de retorno para o novo normal. No palco do Guairinha, o cenário será virtual, trazendo técnicas de ilusão de ótica.

“O virtual é algo que veio para ficar, não há como voltar atrás. O desafio da coreografia é discutir como manter nossa essência nesse contexto”, ressalta a coreógrafa, formada pela Juilliard School, em Nova York, com passagem pelo Balé da Cidade de São Paulo, entre outros.

Na coreografia criada para o BTG, Lili traz reflexões sobre o papel da tecnologia. O acrônimo VICA significa volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade, características já parte do mundo pós-moderno, mas exacerbadas com a pandemia de Covid-19. O termo surgiu nos Estados Unidos após o fim da Guerra Fria. “Trazemos esses elementos para o trabalho. Estamos em um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo. Como viver nesse contexto?”, comenta a coreógrafa.

A obra também irá brincar com a tecnologia: um celular em cena transmitirá o espetáculo ao vivo, como se o público on-line fosse um bailarino da companhia. Os espectadores também vão se surpreender com a trilha sonora, com elementos que vão do erudito ao funk. A ideia é reproduzir e discutir o que se vive no mundo virtual, como no Instagram, onde vemos diversos estilos e perspectivas. “Os bailarinos são provocados como se estivessem no feed do Instagram: passamos de um conteúdo lírico ao futebol em um clique, por exemplo”, explica Lili.

Cena da coreografia VICA, de Lili de Grammont, com o Balé Teatro Guaíra. | Foto: Maringas Maciel.

Acreditando que a saída para os desafios do mundo pós-pandemia são as conexões entre as pessoas, a coreografia explora a relação e o toque entre os bailarinos, algo que havia ficado “suspenso” com a pandemia. Lili conta que usou uma metáfora com a água para explicar aos bailarinos o que desejava transmitir ao público: “Como ser água em um mundo árido, com areia movediça e cheio de montanhas? Os caminhos vão mudando e precisamos descobrir como contornar os obstáculos e chegar ao mar. A mensagem é dizer que, apesar de tudo, a essência do ser humano é sempre caminhar para a vida, para a cor, para o sorriso. Por mais difícil que o percurso seja, há beleza”.

Para Monica Rischbieter, diretora-presidente do Teatro Guaíra, a coreografia que marca o retorno do Balé ao Guairinha faz uma reflexão sobre o mundo que queremos após a pandemia. “Vivemos nos últimos dois anos talvez o período mais difícil deste século, longe das pessoas que amamos. Neste mundo tão complexo que vivemos, precisamos debater o que queremos daqui pra frente. A arte tem esse papel e VICA traduz nossas angústias e esperanças sobre o futuro”, diz Monica.


O que: espetáculo VICA | Balé Teatro Guaíra
Quando: 4, 5, 11 e 12/12 | sáb, 20h30 e dom, 19h
Onde: Teatro Salvador de Ferrante – Guairinha
Rua XV de Novembro, 971 – Centro | Curitiba-PR
Quanto: R$20,00 (inteira)
Ingressos: ticketfacil.com.br/eventos/cctg-vica

Previous ArticleNext Article
Diretora do portal Dança em Pauta | Jornalista formada pela Universidade Tuiuti do Paraná, atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de comunicação. Trabalhou em publicações segmentadas na área de entretenimento e cultura em Curitiba-PR, Maringá-PR e São Paulo-SP. Em 2010, lançou o portal Dança em Pauta com a proposta de empregar seu conhecimento em comunicação para divulgar a dança. É coautora do livro “200 anos de Dança de Salão no Brasil – Volume 4” (2012), organizado pelo pesquisador Marco Antonio Perna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend