Comportamento, Em pauta, Notícias

Baila Costão fomenta a dança de salão social

O último final de semana do mês de julho foi marcado por um evento que já se tornou referência na dança de salão nacional, o Baila Costão. Superando expectativas, este ano, em sua 5ª edição, o evento realizado no Resort Costão do Santinho, em Florianópolis-SC, esgotou as vagas há cerca de uma semana do início. Mas o maior êxito do Baila Costão não está no sucesso de público e sim no fato de procurar fomentar uma característica, aparentemente natural das danças a dois, que tem ficado de lado em muitos dos grandes eventos pelo Brasil: a capacidade de promover a interação social sem restrições.

“A dança de salão tem que ser para todos, não só para profissionais. Hoje, nos maiores eventos do Brasil, o que a gente vê na pista de dança é o pessoal querendo dar show, mostrar que aprendeu mais que o outro e esquecendo a essência, que é ser feliz e ver todo mundo dançando, pois só assim a dança cresce. Ficar colocando as pessoas pra fazer show na pista afugenta os demais”, comenta o organizador do evento Roger Berriel.

Dança de salão social X Profissionalização

A importância da profissionalização da dança de salão é um tema de grande relevância e muito debatido entre os dançarinos atuantes no meio. Diversos professores vêm buscando conhecimento acadêmico para estarem aptos a dar aulas, empregando as técnicas corretas e necessárias, para trabalhar corpo e mente de seus alunos. No que se refere a dança arte, muitos também têm se aprofundado no estudo e preparação para tal. Mas ainda falta um longo caminho a ser percorrido e a profissionalização não deve ocorrer em detrimento da prática da dança de salão social, aquela que tanto prazer proporciona a homens e mulheres, de qualquer idade, trazendo bem-estar físico e psicológico. 

Dois momentos do evento: a dança arte no palco com Rafael Martins e Giulianna Davoli e a diversão do casal com a dança social no salão

“Artista tem que estar no palco, não na pista, onde todos devem fazer a dança de salão social. Em meu evento sempre digo que se querem dar show é só falar comigo e ir pro palco se apresentar. Mas primeiro se preparem, porque acho que o Brasil ainda está muito aquém de outros países em apresentações”, diz Roger. Ele ressalta que no exterior os profissionais treinam incansavelmente, fazendo uso de atividades como alongamento, musculação e pilates, entre outros, para aperfeiçoar suas performances. “Aqui, muitos fazem umas aulinhas e acham que estão dançando. Aí querem dar show na pista e vão batendo em todo mundo. Eu não vejo estes dançarinos como profissionais”, afirma.

Além dos números

O Baila Costão 2011 reuniu 690 alunos, de vários estados brasileiros, que contaram com 82 professores e 40 personal dancers. A noite, nas festas temáticas, somaram-se a estes números hóspedes regulares do resort, garantindo mais de mil pessoas nos bailes. “Virou um mega evento, mas quero manter sempre o cuidado de um evento pequeno, que é saber do dia-a-dia dos participantes, conversar com cada um. Acho que isso faz o diferencial, dar este carinho, este mimo pra todos”, explica Roger.
Aula de salsa com Rodrigo Oliveira e Karina Carvalho

Mas o verdadeiro sucesso do evento não está nos números e sim na proposta que ele traz. Unindo os elementos lúdico e de socialização presentes na dança de salão, que por si só são garantia de diversão, a uma organização bem planejada, o evento é uma prova de que o trabalho profissional em cada área faz toda a diferença.

“Acredito que o sucesso do Baila Costão é um trabalho de formiguinha que a gente faz. Vou sempre agregando profissionais, como foi o caso da Dança em Pauta fazendo a cobertura desta edição. Trago pessoas que percebo que lutam por uma causa, que querem ver a dança de salão crescer”, comenta Roger Berriel.

O evento apostou na fórmula bem-sucedida da dança de salão social, que consegue agradar as diferentes “categorias” de dançarinos, que incluem de experientes professores a profissionais em início de carreira e de alunos regulares de academias de dança pelo Brasil a pessoas que tem seu primeiro contato com a dança de salão no evento. A faixa etária dos participantes também é bastante variada, de crianças e adolescentes até a “idade em que idade não importa mais”, mas que tem em comum a mesma disposição para aproveitar cada segundo do evento. É o caso dos paulistas Elder Rondelli e Tarcila Giannotti, que começaram a namorar há alguns meses e curtiram o evento juntos. Tarcila faz aulas de dança de salão há sete anos e, este ano, participou do Baila Costão pela terceira vez. “O astral deste evento é algo sensacional! Estar com gente cheia de vida, de energia, que gosta de música, de dançar, e professores que vem com todo amor pra dar, cria um clima maravilhoso. Todos que você olha estão sorrindo, é gente que ama a mesma coisa: a dança”, comenta ela. Já Elder, participou do evento pela primeira vez para acompanhar Tarcila, mas acabou se encantando com a dança. “Minha namorada dança muito bem e quero participar da vida dela. Já dancei há muitos anos, mas agora estou procurando me aprimorar pra ficar a altura dela, porque senão ela me troca”, brinca. Entre os pontos altos do evento ele destacou a aula e o alto astral de Sylvio Lemgruber, coreógrafo do Domingão do Faustão, e a união de diversão e exercício físico proporcionada pela dança. “Se pedirem minha opinião sobre o evento eu digo que venha, pois não vai se arrepender”, diz o mais novo pé de valsa. Fica claro que uma das mais importantes formas de divulgação, que é a experiência positiva dos participantes, foi conquistada. Parabéns a toda a equipe responsável pelo Baila Costão, entre organização, assessoria de imprensa e filmagem. Agora é trabalhar para manter o nível atingido pelo evento e continuar fomentando a alegria de dançar a dois.

Parte da equipe responsável pelo Baila Costão 2011

Fotos: Daniel Tortora/Dança em Pauta
Previous ArticleNext Article

1 Comment

  1. participo desde o primeiro baila e vejo a organização como ponto marcante deixando os participantes com gostinho de quero mais.
    Este ano os bailes da noite estavam muito bem estruturados e decorados.Vi o baile sempre cheio e pessoas alegres.Me divirto o tempo todo e adoro aquele espaço incrivel que é o Costão do Santinho com a infraestrutura de 5 estrelas e local de beleza inttensa tanto da praia como os jardins e atendimento dos funionarios do hotel parabens tb pela energia do local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend