Quem disse que eu não posso dançar?

jul 09, 2010 11 Comentários por

Se você é aluno de dança de salão em Curitiba ou freqüenta as baladas de dança a dois da cidade, provavelmente já viu ou ouviu falar de Milton Campos, ou, como é carinhosamente chamado, o “Miltinho”, um arquiteto de 53 anos disputado pelas damas para bailar nas pistas.

Salsa, forró, samba, zouk, tango, bolero, não importa o ritmo, se a dança é a dois Miltinho com certeza estará lá se divertindo. Mas quem vê sua desenvoltura na pista, não imagina as dificuldades que ele teve quando iniciou as aulas de dança de salão, há cinco anos. Seu primeiro contato com a dança foi atendendo ao pedido de uma amiga que precisava de um parceiro para fazer aula de salsa. “De cara percebi que não tinha ritmo, mas resolvi fazer uma superação. Várias dificuldades que tive na vida fui deixando passar e, desta vez, pensei que não valia a pena desistir, era a oportunidade que tinha de levar em frente”, conta.

E ele levou a sério o desafio. Além de fazer 20h de aula por semana, por conta própria começou a usar um metrônomo (relógio que mede o tempo musical) para treinar, desta forma podendo aumentar a velocidade de execução dos passos conforme conseguia assimilar o ritmo. Mas, mesmo assim, a musicalidade ainda era um problema para ele, solucionado com um ano de aulas particulares de música. Paralelo a todo este estudo Milton ainda aproveitava para unir diversão e treino, freqüentando casas noturnas de dança de cinco a seis dias por semana. “Com o tempo eu fui parando de fazer passo e começando a dançar”, explica.

O resultado de todo o esforço e dedicação ficou claro nas pistas e também nas mudanças em seu dia-a-dia, deixando o sedentarismo de lado e fazendo novas amizades.

“Meu sistema de vida mudou integralmente. A dança é complementar pra mim, um caminho que eu não quero deixar”, afirma.

A dica de Milton para os homens que querem aprender a dançar é começar com o forró, para aprenderem a soltar o quadril, segundo ele, uma grande dificuldade para os homens no início. Já para as mulheres, que ele diz terem uma expectativa maior de aprender a dançar rapidamente, ele repete um conselho da professora Sandra Ruthes: tenham paciência. “É claro que um aluno dificilmente vai chegar a dançar como um professor, porque o número de horas de preparação deles é bem maior. Mas com o que a gente aprende nas academias é possível aproveitar muito, brincar e se divertir bastante. É isso que eu faço!”, conclui.

Eu danço

Sobre o autor

Jornalista atuando na área desde 1997 como repórter, redatora e assessora de imprensa. É diretora da revista digital Dança em Pauta.

11 Comentários para “Quem disse que eu não posso dançar?”

  1. Aline says:

    Quem conhece o Miltinho sabe que ele dança muito e tem energia de sobra!! Parabéns!

  2. Diogo Oliveira says:

    Há boatos que o Miltinho tem clones e que consegue estar presente em vários bailes na mesma noite!

  3. Fábio Oliveira says:

    O miltinho, não só tem clones como é uma super figura, um cara super gente boa qie empolga todos a sua volta com sua ireverência, dança muito bem e sabe de todas as baladas legais pr se dançar a dois.
    Um abraço miltinho!

  4. Chris Fernanda says:

    Quando conheci o Miltinho estava começando a me apaixonar pelo forró, hj sei que muito que eu aprendi devo ao carisma e atenção que ele dispensa à todos sem diferenciar o profissional do iniciante. O Miltinho é o cavalheiro mais requisitado sim e tem um porquê sim, ele faz a gente curtir a dança, se entregar à música.
    Obrigada Miltinho por nos presentear com sua presença sempre!!

  5. Elisabeth Curi says:

    Além de grande dançarino é inteligentíssimo e um amigo muito querido.

  6. Dani says:

    Já disse e repito: acompanhei desde o início, o Milton é um exemplo de determinação. Admiro do fundo do meu coração!!!

  7. Sandra Ruthes says:

    Miltinho, a alguns anos, chegou e me falou que podia ser o último dançarino… mas no meio dos melhores!!!
    Hoje, ele é um dos melhores… soube aliar a técnica, da qual correu muito atrás para conquistar, com a alegria, a entrega e a diversão… quer coisa melhor??? Não é a toa que é super disputado nos salões que frequenta, hehehe!!!
    Show Miltinho… exemplo pra muita gente talentosa, que perde as oportunidades pela falta de determinação, estudo, responsabilidade e disciplina.

  8. Maria Silvia says:

    Super Miltinho !!! Uma energia de dar inveja … Além de uma determinação inquestionável.

  9. Moises says:

    É isso aí Milton, eu tambem não dançava nada, hoje tenho uma parceira esposa e professora de dança de salão, agora consigo fazer elas aparecerem na pista de dança !!! não para nunca um abraço!!!

  10. Mateus Avila Isidoro says:

    Muito feliz em ver essa demonstração de força de vontade. Dançar é tudo de bom! :D

  11. Luiz Alberto Duarte Machado says:

    Exemplo bacana para todos nós! Fez lembrar de mim, logo no início do aprendizado parecia um soldado alemão, hoje já estou mais solto de desinibido, valeu dança que faz bem pra alma e o coração!

Deixe um comentário